Museu do Registro

Barbacena, Minas Gerais
2015, 1.060 m²

O projeto de restauração e requalificação da Fazenda do Registro Velho teve como premissa a recuperação desta edificação emblemática da história regional, com a adequação a uma nova ocupação de cunho sócio-cultural. O Museu do Registro, novo uso proposto para a antiga Fazenda, induziu uma intervenção de caráter multifuncional, onde a flexibilidade e a reversibilidade foram as características almejadas.

A sede da Fazenda – mesmo protegida por tombamento – encontrava-se em estado de conservação precário e demandava intervenções urgentes, mas muitos elementos não possuíam condições de consolidação. Acatando diretamente às premissas do IPHAN em Minas, a proposta do Museu mantém a percepção original do bem cultural, ao mesmo tempo em que cria espaços que atendem às demandas museológicas contemporâneas.

FICHA TÉCNICA
Local: Barbacena, Minas Gerais
Projeto: 2015
Área: 1.060 m²
Contratante: IPHAN
Arquitetura: Gema
Arquitetas: Joseana Costa, Nara Grossi
Co-autora: Priscila Almeida
Equipe: Bárbara Olyntho, Maiara Zaia
Imagens: Nando Peres
Premiação: IAB-MG 2015 – Menção Honrosa

Optou-se por deixar parte do baldrame aparente para valorizar a técnica construtiva e potencializar percursos e sensações dos visitantes. Um espaço de exposição foi criado no nível do antigo porão, limitado pelo próprio baldrame aparente e por uma nova passarela metálica.

No pátio interno, as vedações em vidro permitem a permanência da leitura original da volumetria. Já o pergolado em madeira, independente da estrutura da casa, possibilita a articulação entre os espaços, estabelecendo novas relações de uso e ocupação do imóvel. A pavimentação, que daí parte, circunda o Museu e traz um caráter de continuidade.

1. EXPOSIÇÃO 01, 2. PASSARELA METÁLICA, 3. EXPOSIÇÃO 02, 4. SALA MULTIMEIOS, 5. EXPOSIÇÃO 03, 6. COPA, 7. ADMINISTRAÇÃO,
8. ACERVO TÉCNICO, 9. BANHEIRO, 10. PÁTIO INTERNO, 11. VARANDA