Apto Jardim Paulistano

São Paulo, SP
2021, 70m²

Para esse apartamento de 70m2, o morar deveria ter a energia e vibração do proprietário e do local onde se situa. A ideia foi apostar em uma apropriação do espaço de forma livre, aberta, expandida, mas que ao mesmo tempo tivesse uma solução precisa e de baixo custo.

A localização deu a direção no desenho: na esquina da avenida Rebouças, uma via de trânsito importante e intensa na capital paulista, com a rua João Moura. A fachada de fundos, sudoeste, está voltada para o bairro Jardim Paulistano, tem uma vista perene para as árvores e ainda recebe um sol filtrado pelos cobogós existentes.  Foi a partir dessas conexões e visadas que definimos o projeto e os fluxos.

FICHA TÉCNICA
Local: São Paulo, SP
Projeto: 2021 Obra: 2022
Área: 70m²
Arquitetura: Gema
Arquitetas: Nara Grossi, Joseana Costa
Arquiteta coordenadora: Giuliana Mora 
Equipe: Renan Merlin, Bárbara Olyntho, Ana Koga 
Fotografia: João Paulo Prado

m eixo, que chamamos de rio, desenha o piso azul em toda a extensão longitudinal do apartamento, num encontro com a avenida Rebouças, principalmente marcando a relação com a cidade. Em nosso desenho, o rio se encontra com o céu-solar e o verde da vizinhança, fortalecendo essas vivências de forma intuitiva.

Antes compartimentado em pequenos cômodos, nosso projeto vem para abrir e integrar os espaços. Demolimos todas as paredes, preservando apenas um dos quartos e o banheiro existentes. Trouxemos a cozinha para uma linha de bancada que libera as janelas, preserva o acesso à área intima e, ao mesmo tempo, organiza um novo uso de forma flexível e líquida. O viver aqui é livre!

Um eixo, que chamamos de rio, desenha o piso azul em toda a extensão longitudinal do apartamento, num encontro com a avenida Rebouças, principalmente marcando a relação com a cidade. Em nosso desenho, o rio se encontra com o céu-solar e o verde da vizinhança, fortalecendo essas vivências de forma intuitiva.

Antes compartimentado em pequenos cômodos, nosso projeto vem para abrir e integrar os espaços. Demolimos todas as paredes, preservando apenas um dos quartos e o banheiro existentes. Trouxemos a cozinha para uma linha de bancada que libera as janelas, preserva o acesso à área intima e, ao mesmo tempo, organiza um novo uso de forma flexível e líquida. O viver aqui é livre!

A partir dessas intervenções trouxemos as cores como aliadas: azul, lilás, goiaba e verde foram os tons utilizados, cada uma marcando sua função. Fizemos a inserção do piso azul em epóxi, que avança também pelo banheiro e quarto. Sobre o azul aplicamos o lilás no teto, como um reflexo da luz natural e do céu. 

A cozinha recebe marcenaria discreta com detalhes em goiaba e tem a geladeira embutida. As três únicas portas do apartamento, pintadas de verde, recebem detalhe de cor em sua espessura: lilás na porta de entrada, goiaba na do banheiro e azul na do quarto.

Para a iluminação, peças simples fixadas nas vigas, já que a ideia era evitar o ponto central dos ambientes. O piso de madeira existente é original e foi recuperado. 

A disposição dos móveis é solta e descontraída. O piano já circulou por outras posições, a mesa de jantar poderia ter a forma que quisesse e o sofá saiu da posição original. O segundo quarto, que foi integrado, tem fechamento com cortina e prateleiras superiores ajudam com os livros. 

Com resultado envolvente, delicado e ao mesmo tempo marcante, desenvolvemos ideias sensíveis que foram totalmente acolhidas pelo morador. O resultado é uma casa descomplicada, simples e com desenho inteligente!


1. COZINHA, 2. SALA, 3. ESCRITÓRIO, 4. QUARTO, 5. BANHEIRO, 6. ÁREA DE SERVIÇO